15 de agosto de 2008


Uma superprodução com recursos cinematográficos transformaram Hopi Hari em um grande picadeiro repleto de aberrações e palhaços nesta 8ª edição da Hora do Horror - Circo dos Horrores. A produção envolveu 150 personagens, maquiagem desenvolvida por “expert” da Broadway, mais de 1.200 metros quadrados de túneis tematizados que empregaram recursos cinematográficos, shows de abertura e encerramento e a tradicional Direversi, montanha-russa ao contrário.


O alerta sobre a chegada do circo era às 18h30, era reduzida a iluminação e uma trilha sonora tomava conta das regiões di Hopi Hari. Com performances incríveis e grande interação com o público. Em um palco especialmente montado em Wild West tinha início uma encenação coreografada para introduzir o público no contexto do evento. O circo havia chegado!

Considerados as principais atrações do evento, os túneis tematizados contam com uma incrível cenografia para remeter o público a três momentos diferentes do tema, mas que tem em comum o objetivo de fundir fantasia e realidade. A equipe de cenografia não poupou recursos cinematográficos para obter o melhor resultado. Os Túneis contavam com efeitos de ilusão de ótica, projeções holográficas, sustos aéreos, odores desagradáveis, chão e paredes falsas, ponte pênsil, luz e iluminação.

Circo dos Horrores 
O Túnel ficava em Infantasia, é onde ocorria o 'grande show'. Em meio ao globo da morte, canhão humano, roda da morte, bastidores de um circo diferente e outros cenários, o público vivia momentos de arrepiar. Medusa, ventríloquo, atirador de facas, cigana e faquir estavam em busca de suas próximas vítimas! O suspense tomava conta do espetáculo do início ao fim. Eram cinco salas cenográficas.



Boca do palhaço
O Túnel ficava no caminho do lago, em Infantasia. Com fachada imponente, tinha uma enorme boca de palhaço com dentes podres e afiados. O público era recebido por um palhaço que anunciava – “Que bom que vocês chegaram! Hoje não tem palhaçada!”

Aqueles que se arriscavam enfrentavam de início um corredor circular giratório. O Camarim dos palhaços e a sala de tiro ao alvo revelavam muitas surpresas. Em certos momentos, o visitante passava em um corredor onde de um lado estão cabeças de palhaços e do outro pistolas de água. Até o carro em que o palhaço percorria as ruas em busca de suas vítimas fazia parte do cenário. A palhaçada não tinha nenhuma graça. Este túnel também contava com cinco salas cenográficas.


Aberrações
O Túnel ficava entre Mistieri e Infantasia, atrás da atração Kastel di Lendas. A aventura começava antes de acessar o túnel, a entrada era repleta de jaulas com feras famintas, o que já permitia imaginar o que vinha pela frente. Um domador de feras dava as boas-vindas: – “O patrão deve estar louco em deixar que vocês testemunhem as criaturas. Não me responsabilizo pelo que poderá acontecer por aqui!”

O público pode transitar livremente pelo evento e curtir todas as atrações do parque, principalmente a Direversi, que já é uma tradição da Hora do Horror e atração exclusiva do evento. É a montanha-russa de madeira que faz o percurso ao contrário. É incrível e vale a experiência. A atração funciona na Montezum, em Mistieri durante o evento. Confira o Comercial desta edição:


O encerramento da Hora do Horror ocorria às 21 horas. Cerca de 10 minutos antes, havia a encenação final no palco principal. As luzes do parque voltavam ao normal e os personagens desapareciam das ruas. O circo se foi…


Agradecemos a equipe de Marketing do Hopi Hari por ceder parte desse material publicado com exclusividade pelo Hopi Hari Mania. 

<< Voltar para as outras Retrospectivas

© 2008-2017 Hopi Hari Mania é um fã site independente. O conteúdo aqui publicado não necessariamente reflete a opinião da marca Hopi Hari.